As razões que me fazem amar a região central de BH!

Para muitas pessoas o Centro de BH é um lugar para fazer compras, resolver problemas e pronto. É para ir rápido e pouco, afinal, tem muito movimento e faz muito calor.

Tudo isso é verdade e quem sou eu para negar. E se for horários de pico é preciso se preparar, porque é realmente uma loucura! Mas nem por isso o Centro deixa de ser encantador.

Lembro que entre os anos de 2008 a 2010, quando eu era estagiária do Tribunal de Justiça, minha maior alegria era sair do estágio e caminhar até o ponto de ônibus. Eu ia da Rua Goiás até a Rua Caetés caminhando lentamente e fazia questão de passar por caminhos diferentes só para descobrir coisas novas. Quantas voltas desnecessárias eu dava por lá…

Mas foi durante aquelas andanças diárias, com aquele meu olhar curioso de adolescente, que eu aprendi a ver a região central com tanto carinho. Quantas belezas descobri por lá, quantos lugares ótimos para curtir a cidade e experimentar momentos de muita cultura e diversão.

Hoje, tantos anos depois, percebo que nada mudou. Na minha opinião andar por lá é quase um programa turístico. Toda vez é como se fosse a primeira e acontece o seguinte: ou eu descubro algo novo para me apaixonar, ou eu reafirmo meu amor por lugares que sempre estiveram ali.

A Igreja São José, por exemplo, é a mais linda que eu já vi. Fica ali no meio de tudo e se destaca de longe. Na época do estágio eu já gostava de passar por lá, mas depois da restauração meu prazer ficou ainda maior. Fico fascinada com as cores, me encanto pelos inúmeros detalhes e só de olhar para o local já sinto paz.

Também adoro andar pela Avenida Afonso Pena e passar em frente ao Conservatório de Música da UFMG, ao Palácio das Artes e ao Cine Theatro Brasil, prédio da década de 1930 que foi reaberto no ano de 2013.

Além de serem prédios lindos, que deixam a região encantadora em razão da arquitetura imponente, eles são lugares que proporcionam inúmeras atrações culturais à população. Os valores são acessíveis e grande parte da programação é gratuita.

E logo ali, no fundo do Palácio das Artes, tem o Parque Municipal. Muitas árvores, um lago, bancos na sombra e o Teatro Francisco Nunes, que também faz parte da história da cidade e sempre tem apresentações interessantes.

Parque Municipal visto de cima!

Museus incríveis também não faltam por lá: tem o Museu Inimá de Paula, que conta com o acervo permanente do pintor Inimá de Paula, além de várias mostras temporárias; o Museu da Moda, primeiro museu público destinado à atividade no Brasil; e o Museu de Artes e Ofícios, que fica na Praça da Estação, e é formado por peças originais dos séculos XVIII ao XX.

Se não bastasse tudo isso, o Centro também edifícios tradicionais, cheios de história e que causam impacto toda vez que a gente olha: Maleta, JK, Othon Palace, Mariana e Acaiaca, grande marco da arquitetura e o prédio mais alto da cidade, com 120 metros de altura e 30 andares.

E sejamos sinceros: tem coisa mais gostosa que andar pela Rua da Bahia e ter a oportunidade de dar de cara com o Viaduto Santa Tereza? Como ele é lindo e imponente!

E o Pirulito da Praça Sete? Quando eu passo na frente dele tenho a sensação de estar no meio da cidade, como se fosse um lugar milimétricamente calculado no centro de BH.

Toda vez que passo ali eu fico um tempo parada, olhando de um lado para o outro, como se isso fosse responder alguma pergunta que eu nem sei qual é. Eu apenas respiro, olho e aprecio. Acho incrível ver a cidade, o movimento, o trânsito e os prédios que rodeiam esse monumento.

E funciona assim: se eu penso em sebos, bares e restaurantes com prato feito, o Maleta é o primeiro lugar que passa pela minha cabeça. Lá também tem a Cantina do Lucas, restaurante que é Patrimônio Cultural da Cidade e tem aquele cardápio com pratos fartos e deliciosos, que nunca decepcionam.

Se o assunto é vestido de festa ou vestido de noiva, é claro que a escolha certa é o Edifício Mariana. Mas em rodas de amigos, se o tema for apartamento, sempre surge aquela dúvida sobre o JK. Como deve ser morar por lá? Meu sonho é descobrir.

O Acaiaca, que hoje tem salas comerciais, escritórios de advocacia e empresas de telemarketing, também desperta um desejo: subir até o última andar e apreciar a vista de BH! Quem sabe uma dia?

Eu sei que já falei demais, mas não posso terminar esse post sem mencionar o lugar mais especial do Centro, a parada obrigatória para quem ama gastronomia: o maravilhoso Mercado Central. Lá a gente encontra tudo de gostoso que tem em Minas e ainda consegue reunir com os amigos para tomar uma cerveja, comer fígado com jiló ou almoçar no querido Casa Cheia, com suas filas intermináveis e sempre compensadoras.

Pode parecer estranho, mas garanto para você que se na próxima ida ao Centro o seu coração estiver aberto, você vai se apaixonar. São muitos detalhes, muita cultura, muita história e é gostoso demais ter um olhar positivo sobre a cidade e valorizar o que a gente tem de melhor.

Podem ser coisas grandes, como essas que mencionei até agora, ou coisas pequenas, como os semáforos que homenageiam os prédios mais importantes da cidade, os grafites do Cura Art que mostram a importância da arte urbana para a valorização da cultura e da diversidade, ou uma árvore no meio do caminho que faz sombra enquanto você espera para atravessar a rua.

Todas as fotos eu que tirei, durante as minhas andanças…

O encanto está lá, você só precisa se permitir. Ah, e se quiser me contar o seu lugar preferido no Centro vou adorar saber, é só deixar um comentário aqui. 🙂

Beijos, Isabela!

2 comentários

  1. Larissa Dias Marques says: Responder

    Ahh, que coisa linda!! Me emocionei com seu texto, de verdade!! Sou de Curitiba-PR, sua seguidora com muita alegria, e desde a primeira vez que fui para BH senti algo diferente, uma conexão tão grande que não consigo explicar. Da última vez que fui, conheci a maioria dos lugares que citou com um amigo belo-horizontino (também apaixonado pela cidade!) e fiquei fascinada, encantada e muito feliz com tudo que via ali, pela primeira vez. Ainda quero conhecer os outros lugares e muito mais. E uma certeza eu tenho: quero e vou morar aí, num futuro não tão distante!! rs
    Parabéns pelo texto e por conseguir expressar todo esse amor por meio das palavras. Chorei por ir lendo e vivenciando toda a felicidade que tive quando estive aí passando por esses lugares, foi como reviver esses dias! Muito obrigada por compartilhar tudo isso!!
    Beijos!!
    Larissa

    1. Larissa, que fofooo seu comentário.
      Tenha certeza que foi muito importante para mim, de verdade!
      Eu amo essa cidade e esse Estado, então saber que as pessoas se sentem bem aqui me preenche de alegria.
      Obrigada de verdade, e seja sempre bem vinda por aqui!
      Bjs, Isabela.

Deixe uma resposta