Harmonização de queijos e cervejas no Haus München

Oi gente, tudo bem?

No dia 27 de outubro eu participei de uma deliciosa harmonização de queijos e cervejas no Haus München. O encontro foi feito apenas para convidados, mas a novidade é que quem se interessar também poderá participar…

Então saibam um pouco mais sobre a noite incrível, que no final explicarei detalhes para quem se interessar, ok?

A harmonização é realizada pela Fabiana Arreguy e pelo Eduardo Girão, que apresentam várias informações e curiosidades sobre o universo dos queijos e da cervejas. Eles são especialistas no assunto e apresentam tudo com muita simpatia, o que torna o momento leve e agradável.

img_2620

Para começar eles escolheram um queijo da Região do Jequitinhonha, o Cabacinha de Joaima. Esse queijo tem um estilo italiano e é trabalhado em água quente, com isso ele é mais elástico. Para harmonizar foi servida a cerveja alemã Kellerbier Weihenstephaner 1516, que é leve, com baixo teor alcoólico e baixo amargor:

1

Na sequência, experimentamos o queijo Catauá do João Dutra, que é de Campo das Vertentes. Esse queijo não é muito ácido e possui vários furinhos. Além disso, ele fica 45 dias no processo de cura. A cerveja servida com ele foi a Baden Baden Celebration, que é alcoólica e doce, por usar maltes caramelizados:

2

A terceira harmonização foi feita com o clássico Queijo Canastra. O escolhido é de Medeiros e é conhecido como Canastra do Valtinho. Esse queijo é feito de forma bem clássica, tem acidez moderada, pouco amargor e é mais seco. A curiosidade é que normalmente ele é produzido por mulheres. Para harmonizar, foi servida uma cerveja alemã clássica, a Pilsen Warsteiner Premium Verum, que tem um amargor mais pronunciado:

3

Depois provamos o queijo de Araxá, produzido pelo Ronaldo Lemos. Ele leva 15 dias de cura e é picante e molhadinho. Para harmonizá-lo foi servida a cerveja holandesa 8.6 Blond, que é cítrica, picante e doce:

4-1

Para finalizar, foi apresentado o queijo do Serro, produzido pelo Eduardo Melo. Esse queijo é curado por 6 meses, com isso ele fica duro e sem humidade, razão pela qual ele fica duro, concentra sal e possui baixo amargor. A curiosidade é que esse queijo é considerado Patrimônio Cultural de Minas desde o ano de 2012. Ele foi harmonizado por contraste com a cerveja belga St Bernardus Abt12, estilo Abbey Ale, com 10% de álcool:

4

Tudo delicioso deverdade! É muito interessante acompanhar uma harmonização e perceber o quanto os alimentos, quando combinados, possuem sabor diferenciado e especial…

E como o evento está acontecendo no Haus München, ao final ainda foi servido um jantar maravilhoso. O restaurante é impecável e quem não conhece, precisa conhecer porque vale a pena demais… Eu sou fã!

Vejam as opções do jantar:

c
Medalhão de Filé Mignon ao Molho Poivre e batata gratinada
b
Tradicional Rosbife de Filé Mignon com molho Haus, acompanhado de salada de batata
a2
Jarret de Porco com Molho de Cerveja Preta
d
Compota de Maçã e Manjericão com sorvete de caramelo crocante

Aposto que está de queixo caído e já querem participar, estou certa?

Então é simples… Entrem em contato pelo telefone (31) 3281-2644 ou pelo e-mail tatianna@albanos.com.br. Vocês terão todas as inforamações necessárias e eu tenho certeza que vão AMAR a noite… 🙂

Beijos e até a próxima, Isabela!

Deixe uma resposta